Marca Maxmeio
Natal Card
Agronegócio
27 / 11 / 2017 - Por Jean Valério

Processamento de frutas tem papel decisivo na cadeia produtivaEspecial Serra de Santana - Sebrae

O beneficiamento de frutas ajuda a cadeia produtiva a se fortalecer – Foto: Moraes Neto

Se a cultura e diversificação de frutas na região é importante, a indústria de processamento é fundamental para consolidar o Arranjo Produtivo Local da Fruticultura da Serra de Santana. O beneficiamento das frutas, sobretudo o pedúnculo do caju que há muito tempo foi desperdiçado devido à volorização da castanha, tempapel essencial por fechar o ciclo da cadeia produtiva da fruticultura e escoar a produção. Com compradores, os produtores ficam assegurados que a safra será adquirida e por custo compátivel.

Um dos principais desafios será colocar para funcionar todas as seis unidades de beneficiamento instaladas nas comunidades de Serra do Cajueiro, Baixa do Sitio, zona urbana de Tenente Laurentino Cruz, Assentamento José Milanes, Comunidade Baixa Verde e comunidade sítio Chã de Divisão. Três delas estão desativadas.

Francisco Canindé investiu R$ 1,2 milhão para estruturar a Agroindústria Seridoense – Foto: Moraes Neto

“As unidades de beneficiamento tem uma função central de escoamento da produção de frutas. São atores locais importantíssimos para a consolidação do APL e para a organização da produção. Inicialmente, a proposta é trabalhar com aquelas que já se encontram ativas, porém, como consequência das ações propostas no Plano de Desenvolvimento, esperamos o fortalecimento de todas as unidades de beneficiamento da região”, garante o gerente da Unidade de Agronegócio do Sebrae-RN, Ângelo Baeta.

Para entender a importância dessa indústria, basta olhar para a atuação da Agroindústria Seridoense, uma unidade de processamento de frutas que funciona nas antigas instalações do Vinho São Braz, já na região divisa das cidades de São Vicente e Tenente Laurentino Cruz. A unidade é responsável por 3,5 mil toneladas de caju – 2 mil toneladas vêm da região da Serra de Santana – que representa 85% de todo o processamento da indústria. Os produtos, entre polpas e sucos, abastecem o mercado nordestino.

As polpas são produzidas no município de São Vicente e abastecem o mercado nordestino – Foto: Moraes Neto

“A grande vantagem quando se tem uma agroindústria que absorve a produção local é o preço de compra, que acaba padronizado. Assim, s fruticultores saem das mãos dos atravessadores, que tentam sempre reduzir o preço de compra”, explica um dos proprietários da Agroindústria Seridoense, Francisco Canindé. “Quando a indústria local funciona, qualquer atravessador de fora terá de pagar no mínimo o preço que os produtores já repassam. Isso representa uma maior lucratividade”, completa.

A unidade é fruto de um investimento de R$ 1,2 milhão, aplicados desde 2011, compra praticamente todo o caju obtido pela Cooperativa de Desenvolvimento Rural Sustentável de Produtores de Frutas do RN (Frutcoop). Instalada na comunidade Baixa do Sítio, município de São Vicente, a cooperativa mantém 54 fruticultores cooperados e comercializa castanha e suco integral de caju. O processamento é na unidade.

Além do caju, a Agroindústria Seridoense processa 150 toneladas de polpas. Depois do caju, a unidade também atua com as polpas de cajá, manga, maracuja, graviola, acerola e goiaba. Trabalho que absorve 15 pessoas da comunidade com emprego garantido. Durante a safra do caju, que vai de junho a meados de fevereiro, esse número sobe para 35 com os empregos temporários.

A unidade fornece sucos para marcas nacionais, como Maguari e Palmeron –
Foto: Moraes Neto

“Nossa sustentabilidade vem justamente de alternar o processamento de outras frutas na entressafra do caju”, revela Francisco Canindé. O suco a granel da Agroindústria Seridoense abastece grandes indústrias de sucos do país, que levam o rótulo Maguari, DaFruta e Palmeron.

Revista Negócios.Net

Revista Negócios 70
Revista Negócios 69
Revista Negócios 68
Revista Negócios 67
EDIÇÃO N° 62 – MARÇO DE 2016
Revista Negócios 61
Edição n˚59
Edição n˚58
Edição n˚56
Edição n˚55
Edição n˚54
Edição Nº 53
Edição Nº 52
Edição Nº 51

Twitter /RevNegocios

  • @revnegociosPara quem está disposto a voltar a investir, o segmento imobiliário é a proposta mais vantajosa do momento.… https://t.co/d5e9w9gJ2L@revnegocios1 semana atrás
  • @revnegociosO Rio Grande do Norte é o estado brasileiro que mais gera energia pela força dos ventos e dispõe da maior capacidad… https://t.co/bbOgusVPF0@revnegocios1 semana atrás
  • @revnegociosIndústria da Reciclagem cresce e mira para o futuro: https://t.co/EJqSYjKdJi https://t.co/X0HH3746nq@revnegocios1 semana atrás

Instagram /RevNegócios

Facebook /RevNegócios

TV Negócios.Net